Notícias

home » notícias

2 de Dezembro de 2020 às 09:14

1 de Dezembro de 2020 às 09:05 Compartilhe Durante o Dezembro Vermelho, sindicato reforça importância da prevenção


No dia 1º de dezembro é comemorado o Dia Mundial de Combate à AIDS, mas a campanha se estende durante todo o mês, visando divulgar informações sobre o vírus e a prevenção. Depois das campanhas de conscientização contra o câncer de mama e o câncer de próstata, o Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS e Região novamente quer chamar a atenção dos bancários, desta vez, para a campanha “Dezembro Vermelho”. Além da conscientização sobre a prevenção, o layout do site do sindicato foi alterado para reforçar a importância da campanha.

A doença é causada pela infecção do vírus da Imunodeficiência Humana (HIV é a sigla em inglês), que pode ser contraído por relação sexual desprotegida, transfusão de sangue contaminado, materiais que perfuram ou cortam a pele, e pela gravidez e amamentação. Causador da aids, o vírus ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

De acordo com estatísticas globais dos relatórios do UNAIDS, em 2019 havia 38 milhões de pessoas vivendo com HIV, sendo 36,2 milhões de adultos e 1 milhão de crianças. Mas cerca de 7,1 milhões de pessoas não sabiam que estavam vivendo com HIV. Só na América Latina, este número representa 77% das novas infecções por HIV.

Quem chega na fase mais avançada da doença, por não saber da sua infecção ou não seguir o tratamento indicado pela equipe de saúde, pode sofrer de hepatites virais, tuberculose, pneumonia, toxoplasmose e alguns tipos de câncer. Por isso, ao passar por alguma situação de risco, procure uma unidade de saúde imediatamente.

Os medicamentos antirretrovirais (ARV) agem inibindo a multiplicação do HIV no organismo e, consequentemente, evitam o enfraquecimento do sistema imunológico. Desde 1996, o Brasil distribui gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) todos os medicamentos antirretrovirais e, desde 2013, o SUS garante tratamento para todas as pessoas vivendo com HIV (PVHIV), independentemente da carga viral. 

O tratamento pode ser usado como uma forma de prevenção muito eficaz para pessoas vivendo com HIV, evitando, assim, a transmissão do HIV por via sexual. No Brasil, há exames laboratoriais e os testes rápidos, que detectam os anticorpos contra o HIV em até 30 minutos, colhendo uma gota de sangue da ponta do dedo. Esses testes são realizados gratuitamente pelo SUS, nas unidades da rede pública e nos Centros de Testagem e Aconselhamento – CTA.

Em Campo Grande, o CTA está localizado na Rua Anhandui, número 299, bairro Amambaí. Mais informações pelo telefone 3314-3450.

Coronavírus

Uma nova análise do UNAIDS revelou os impactos potenciais que a pandemia de COVID-19 poderia ter em países de baixa e média renda em todo o mundo sobre o fornecimento de medicamentos antirretrovirais genéricos usados para tratar o HIV.

Estatísticas recentes estimam que uma interrupção completa de seis meses no tratamento do HIV pode levar a mais de 500.000 mortes adicionais por doenças relacionadas à AIDS.

Por: Assessoria de Comunicação do SEEBCG-MS


Notícias Relacionadas