Notícias

home » notícias

28 de Novembro de 2016 às 07:03

Possibilidade de fusão de agências gera preocupação no BRB


Crédito: ReproduçãoSE
Brasília - Há fortes rumores de que a diretoria do BRB está discutindo a possibilidade de fusão entre agências com localização geográfica próxima, e cujo desempenho está aquém do que se espera. Tal possibilidade está gerando inquietação e desconforto entre os funcionários do banco, especialmente após o Banco do Brasil ter anunciado um programa de reestruturação que pretende retirar ate 18.000 bancários daquela instituição, exatamente o mesmo tratamento dado ao BB no governo neoliberal de FHC.
 
Nos últimos dias, circulam também informações de que a Caixa Econômica Federal também fará reestruturação nos mesmos moldes do que foi anunciado pelo BB, o que contribui para a inquietação dos funcionários do BRB.
 
“Todos têm em mente que o governo Temer é privatista, e que atitudes destas ocorrem no sentido de preparar estas empresas para uma futura privatização. Ações parecidas no BRB, obviamente criarão um ambiente de temor de que isso possa ocorrer com o BRB, até porque o governo Rollemberg apóia o governo Temer, cujo partido, o PSB, até ministro neste governo tem”, pondera Daniel de Oliveira, diretor do Sindicato. 
 
A fusão de agências, caso ocorra, acarretará sobressaltos na vida dos funcionários do banco, e isto é mais um agravante que contribui para a criação de um ambiente de extrema preocupação. 
 
“É importante que a diretoria do BRB esclareça esta possibilidade, pois, se tem algo que contribui sobremaneira para um baixo desempenho, é uma situação de desconforto, desconfiança, e pânico, tudo de que o BRB não precisa. Se a diretoria pensa em fazer algo semelhante, que dialogue com os trabalhadores. 

Se tal medida for necessária para uma situação mais saudável do BRB, com certeza os funcionários saberão compreender. O que é péssimo e gera desconfiança, são as ações da noite para o dia. O BRB já enfrentou situações de ajuste que foram muito bem sucedidas com diálogo honesto entre a diretoria e os funcionários. É isto que os bancários do BRB e o Sindicato esperam”, conclui Eustáquio Ribeiro, diretor do Sindicato.

Fonte: SEEB/Brasília - Da Redação

Notícias Relacionadas