Notícias

home » notícias

12 de Novembro de 2019 às 08:43

Fundos de pensão e Previdência foram tema de café com debate


Crédito: SEEB/PA

Belém PA - Previdência Complementar nunca foi tão importante para a classe trabalhadora em tempos de ‘reforma’ da Previdência. Como os brasileiros e brasileiras terão um amparo menor do governo, muitos, que podem financeiramente, estão buscando outros tipos de amparo na previdência complementar.

Os bancários e bancárias do BB têm a PREVI, um dos maiores fundos de pensão da América Latina, criada em 1904, antes mesmo da previdência oficial em nosso país.

A PREVI é uma entidade fechada de previdência e seus participantes são funcionários do Banco do Brasil e empregados do quadro próprio. A instituição trabalha para garantir a esses participantes benefícios previdenciários complementares aos da previdência oficial.

O futuro dos fundos de pensão com a ‘reforma’ da Previdência foi tema de um café com debate com o diretor de Seguridade da Previ, Marcel Barros, na manhã desta sexta-feira (8), na sede do Sindicato dos Bancários do Pará.

“Seguimos conseguindo pagar todos os nossos participantes, e como a PREVI é uma entidade de previdência complementar fechada, a instituição em si não deve sentir, de forma severa, os impactos da ‘reforma’ da Previdência. Mas essa realidade é uma exceção diante da maioria da classe trabalhadora que vai sentir na pele o quão difícil será conseguir se aposentar”, destaca o diretor de Seguridade da Previ, Marcel Barros.

Para a previdência complementar, o impacto da ‘reforma’ inicialmente é positivo: as pessoas devem contribuir por mais tempo, caso queiram se aposentar no patamar planejado, tendendo a gerar maior fôlego aos planos, que por sua vez, tendem a pagar benefício por menos tempo, pois os participantes vão se aposentar mais tarde.

“Na perspectiva do trabalhador e da trabalhadora isso não é bom, é pôr em risco a própria saúde mental e física, tendo que trabalhar por mais tempo, é abrir mão do convívio com a família, do descanso e do lazer, também por mais tempo; sem ter a certeza de que realmente estará vivo e com saúde para se aposentar”, avalia o presidente do Sindicato dos Bancários do Pará e bancário do BB, Gilmar Santos.

Sob essa ótica, os fundos de pensão que oferecem benefícios de risco, como pensão por morte e invalidez, há a possibilidade de um impacto negativo. Como os participantes ficarão por mais tempo ativos na empresa, a exposição à invalidez, por exemplo pode aumentar, gerando uma rotatividade de pessoas querendo se desligar do plano antes de chegar na idade da aposentadoria.

Em números

Plano 1
O Plano 1 teve uma rentabilidade no mês de agosto de 0,15%. O desempenho acumulado do plano em 2019 é de 4,94%. O destaque do mês foi o segmento de Investimentos no Exterior, que representa 0,09% da carteira e teve uma rentabilidade 5,41% em agosto e de 21% no ano. O Plano 1 permanece com superávit acumulado de R$ 3,53 bilhões.

Previ Futuro
A rentabilidade do Previ Futuro no mês foi de 0,38%, com um desempenho no ano de 12,98%. O número é maior do que o dobro da meta atuarial no período, que é de 6,07%. O segmento que mais se destacou foi também o de Investimentos no Exterior, com uma rentabilidade acumulada de 21% no ano. O cálculo do benefício é realizado com base no tripé tempo, contribuição e rentabilidade.

 

Fonte: Bancários PA com Previ


Notícias Relacionadas