Notícias

home » notícias

13 de Novembro de 2017 às 10:54

Dia Nacional de Luta termina com ato no Ministério do Trabalho


Crédito: Reginaldo de Oliveira MSC

Campo Grande MS - Os diretores do Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS e Região participaram nesta sexta-feira (10) do encerramento do Dia Nacional de Paralisação e Luta contra a reforma trabalhista, que entra em vigor neste sábado (11). 

Os manifestantes se concentraram na Rua 14 de julho com a Avenida Afonso Pena. Mais uma vez, os bancários denunciaram os deputados federais e senadores que votaram contra o povo e aprovaram a reforma trabalhista.

"Nós estamos aqui para dar esse recado para a classe política. Senadores e deputados que votaram contra os trabalhadores. Precisamos dar a resposta nas urnas e eleger políticos que defendam os direitos dos trabalhadores. A nova lei trabalhista não prejudica apenas as entidades de classe, mas ataca todos os brasileiros e brasileiras”, ressaltou o presidente do Sindicato dos Bancários de Campo Grande-MS e Região, Edvaldo Barros.

  

Durante os protestos, os dirigentes sindicais fizeram a coleta de assinaturas para Projeto de Lei de Iniciativa Popular (PLIP), que revoga a nova lei trabalhista.

Após a concentração, os manifestantes fizeram uma passeata pelas ruas do centro da capital até a Superintendência Regional do Trabalho. No local, foi realizado o enterro simbólico da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) representando a retirada de direitos dos trabalhadores.

Defesa dos Bancos Públicos

Durante todo o dia, os bancários participaram de protestos. No período da manhã, houve uma manifestação em defesa dos bancos públicos em frente à agência da Caixa, na Rua Barão do Rio Branco.

A categoria bancária ainda participou de um ato na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e, mais tarde, se uniu aos trabalhadores do setor elétrico e do Sinergia em frente à Eletrosul, para protestar contra a privatização da Eletrobrás, responsável pelo controle de grandes hidrelétricas no Brasil, como a usina de Itaipu. O apoio a outras categorias busca intensificar a luta contra as privatizações de empresas públicas.

 

Fonte: Adriana Queiroz - SEEB/Campo Grande MS 

 


Notícias Relacionadas