Notícias

home » notícias

8 de Novembro de 2018 às 08:23

Assalto ao Banpará assusta a cidade de Viseu


Crédito: Reprodução
Criminosos utilizaram reféns como escudo humano

Belém PA - O final da manhã de terça-feira (6) ficou marcado na mente e no corpo da população de Viseu, nordeste paraense, em especial dos bancários, vigilantes e clientes que estavam dentro do Banpará no momento do assalto. Cerca de dez criminosos armados invadiram a agência bancária e causaram pânico, na modalidade conhecida como “vapor”. Um dos vigilantes foi baleado e encontra-se internado.

Na frente da agência (acesse o vídeo aqui), enquanto fugiam, os criminosos fizeram um escudo humano com dez reféns levados em, pelo menos, quatro caminhonetes, segundo testemunhas. Entre os reféns, um bancário colocado em cima do capô de um dos veículos e um estagiário. A maioria dos reféns foi liberada sem ferimentos em uma estrada vicinal distante do município. Um bancário da agência ficou com queimaduras na costa pelo contato direto da pele com a lataria do capô do veículo.

“Começamos o mês de novembro com mais um registro da insegurança bancária, que afeta o interior do Estado. Como vimos, os assaltantes realizaram a ação em plena luz do dia e não se intimidaram com o horário de atendimento da agência, ainda não satisfeitos levaram as pessoas sequestradas. Para tranquilizar dos funcionários da agência do Banpará, a diretora de saúde do Sindicato dos Bancários prestou as devidas orientações aos bancários e bancárias vítimas dessa situação”, destaca o presidente da entidade, Gilmar Santos.

 

Bancário resgatado após assalto ao Banpará em Viseu

“Nos colocamos à disposição de todos os colegas do Banpará em Viseu caso o banco não emita o Comunicado de Acidente de Trabalho, que é necessário em casos como esse, para resguardar o trabalhador caso, no futuro, ele apresente algum transtorno em decorrência do assalto e precise do INSS”, explica a diretora de saúde do Sindicato, Heládia Carvalho.

A dirigente sindical foi acompanha do diretor da Fetec-CUT/CN, Joaquim Sousa, que relatou com perplexidade o que viu no local. “A situação que vimos de perto era pior do que imaginávamos. Os colegas, todos, muito abatidos, principalmente os companheiros bancários que foram amarrados, crucificados nos carros na hora da fuga. Um deles está com sequelas na sua audição devido aos tiros disparados perto dele e queimaduras na pela pelo contato com a lataria quente do carro. O que causa indignação é que havia um alerta na cidade de que tinha gente estranha por lá e que poderia ser para assaltar, a polícia já tinha recebido denúncias há mais de 24 horas, o Banpará também, mas ninguém deu nenhum retorno. Por isso, infelizmente, o sentimento na cidade e entre os bancários é de medo. Esperamos que as autoridades competentes e os bancos tomem alguma providência pra melhorar a segurança no local”.

De acordo com o Banpará, a estrutura do banco não ficou comprometida, mas a agência permanecerá fechada e não tem previsão de reabertura. O banco irá encaminhar os funcionários vítimas do assalto para uma avaliação médica.

Com esse caso, já são 35 assaltos consumados e mais 18 tentativas registradas pelo Sindicato dos Bancários do Pará em 2018.

 

Fonte: Bancários PA com agências de notícias

Imagens: Divulgação


Notícias Relacionadas