Notícias

home » notícias

9 de Novembro de 2017 às 16:03

Amanhã é dia nacional de mobilização contra a retirada dos direitos trabalhistas


Porto Velho RO - Amanhã, sexta-feira 10, bancários e trabalhadores do ramo financeiro de Rondônia irão às ruas levar à população o seu total repúdio com a nova lei trabalhista que já foi aprovada e entra em vigor no sábado, 11, e vai representar o fim dos direitos dos trabalhadores em todas as áreas.

O Dia Nacional de Mobilização pela revogação da reforma será simultâneo em todo o país e é realizado pelas demais centrais e sindicatos de todo o território nacional

O Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) conclama todos os bancários, trabalhadores de cooperativas de crédito e de casas lotéricas a participarem deste ato que objetiva mostrar ao governo e seus aliados que mesmo aprovada, a reforma trabalhista não deixará de ser combatida.

"A lei já foi aprovada e entra em vigor já neste sábado, mas nós não vamos aceitar isso facilmente. Unidos, podemos reverter esta situação com a participação nas ações que objetivam revogar esta reforma. Mas somente com a participação de todos podemos mudar este quadro tenebroso que agora se tornou realidade. Por isso vamos intensificar as atividades para levar à sociedade os danos sem precedentes que esta lei trará à classe trabalhadora. Precisamos mostrar que continuaremos firmes na luta contra este projeto de retirar direitos dos trabalhadores que parte de um governo que só quer atender aos interesses dos poderosos que, por sua vez, desejam há muito tempo a extinção dos direitos do trabalhador", menciona José Pinheiro, presidente do SEEB-RO.

ANULAÇÃO

A CUT lançou no dia 7 de setembro a Campanha Nacional pela Anulação da Reforma Trabalhista, que deve entrar em vigor no dia 11 de novembro. Com o número suficiente de assinaturas (1% do eleitorado brasileiro, de todas as regiões), o projeto é protocolado na Câmara Federal e segue a mesma trajetória de qualquer outro projeto no Congresso Nacional, ou seja, passa pelas votações dos deputados e dos senadores.

Fonte: SEEB-Rondônia

Notícias Relacionadas